Steve Wozniak – O inventor do Apple I

por | Uncategorized | Sem comentários

As primeiras inspirações de Wozniak vieram de seu pai, que foi um engenheiro da Lockheed, e de um personagem de ficção literário: Tom Swift. Seu pai contaminou-o com a fascinação por eletrônica e frequentemente participava das criações do jovem Woz.

Tom Swift, por outro lado, foi para Woz um exemplo da liberdade de criação, conhecimento científico e da habilidade de encontrar soluções para problemas.

Wozniak adorava todos os projetos que requeriam grande esforço mental. Ele aprendeu as bases da matemática e da eletrônica com seu pai. Quando Woz tinha 11 anos, construiu a sua própria estação de radioamador e obteve uma licença de radioamador. Aos 13 anos, foi eleito presidente do clube de eletrônica de sua escola, e ganhou o primeiro prêmio em uma feira de ciências por uma calculadora baseada em transístores. Ainda aos 13 anos, construiu seu primeiro computador que foi a base técnica para o seu sucesso posterior.

Juntamente com John Draper, construiu Blue Boxes (caixas azuis), dispositivos com os quais era possível burlar o sistema telefônico da AT&T ao emular pulsos.

Ao longo da história quando se fala de Apple o nome de Steve Jobs sempre é o mais citado, muitos se quer imaginam que a fase de ouro da companhia teve uma contribuição gigantesca de um cofundador que merece todas as honras possíveis: Steve Wozniak.

Wozniak é considerado um “bruxo da eletrônica”, que nos anos 70 cultuava com fervor o amor pelo hackerismo, os escovadores de bits eram sua trupe preferida. Uma de suas principais criações, o Apple I, completou 42 anos em 2018. Além de ser essencial na cronologia da computação, esse é também o primeiro produto da Apple, um representante da parceria entre os dois Steves, sendo o Wozniak o guru dos chips e bits e Jobs o guro da lábia e da venda.

Essa divisão clara entre os rumos que cada um dos Steves queria em seguir desenhou a Apple, desenhou a formação de uma empresa. Wozniak declarou certa vez que nunca passou por sua cabeça a ideia de vender computadores, foi Jobs que sugeriu tornar os projetos hobbystas de Woz em algo comercial. O Apple I não foi o primeiro caso dessa parceria, na verdade foi a Blue Box, dispositivo que emitia tons específicos para enganar a central telefônica e então realizar chamadas interurbanas de graça, que uniu os Steves, antes mesmo de qualquer intenção de fundar a Apple.

Mesmo com sua timidez notável, Woz tentava se enturmar, apresentando-se assim: “Sou Steve Wozniak trabalho na Hewlett-Packard (HP) com calculadoras e projetei um terminal de vídeo.”

A primeira reunião no Homebrew Computer Club, em março de 1975, foi o momento “eureca” do seu grande projeto que se transformaria em Apple I, com a ajuda de Jobs.

O projeto de Woz era um terminal de vídeo mas sem nenhuma capacidade de processamento, ele teria que ser conectado por linha telefônica a um computador de tempo compartilhado em algum lugar.

O Apple I custava US$ 666,66 (Wozniak disse mais tarde que o valor não tinha relação com o número da besta, e o atribuiu porque gostava de números repetidos.). Jobs e Wozniak venderam os primeiros 25 computadores a um comprador local.

Wozniak pode então se concentrar o tempo todo em melhorar e consertar as deficiências do Apple I e adicionar novas funcionalidades. O Apple I levou à companhia perto de um milhão de dólares. Seu novo projeto era manter as mais importantes características: simplicidade e usabilidade. Woz introduziu um monitor de alta resolução gráfica no Apple II. Seu computador passou a ser capaz de mostrar figuras no lugar de apenas letras: “Eu integrei a alta resolução. São apenas dois chips. Eu não sei se as pessoas utilizarão isto.” Em 1978, projetou um drive de disquete de baixo custo. Ele e Randy Wigginton escreveram um sistema operacional simples.

Além de suas habilidades com o hardware, Wozniak escreveu muitos dos programas que executavam no Apple. Ele escreveu um interpretador Basic, um jogo de Breakout (que foi também uma razão para adicionar som ao computador), o código necessário para controlar o drive de disquetes, e muito mais.

Com relação aos programas, o Apple II se tornou mais atrativo para os usuários empresariais devido à famosa e pioneira planilha eletrônica Visicalc de Dan Bricklin e Bob Frankston. Em 1980, a Apple se tornou pública e fez de Jobs e Wozniak milionários.

Woz deixou a Apple definitivamente em 6 de fevereiro de 1985, nove anos após ter fundado a companhia. Wozniak fundou então uma empresa de curta duração, chamada CL9, que desenvolvia aparelhos de controle-remoto. Rancoroso, Jobs ameaçou seus fornecedores da perda de negócios com a Apple se fizessem negócios com Wozniak.

Wozniak pôde encontrar outros fornecedores, mas ficou desapontado com o comportamento amargo de seu antigo amigo.

Mais tarde, Jobs foi obrigado a deixar a Apple por causa de lutas pelo poder. Wozniak e Jobs são orgulhosos de terem originado uma ética anticorporativista no meio dos grandes do mercado de computadores. Jobs orientou-se à sua (nem sempre) inovadora visão com o NeXT, enquanto Woz dedicou-se ao ensino (ensinava estudantes de 5° ano) e a atividades caritativas no campo da Educação.

Steve Wozniak recebeu a Medalha Nacional de Tecnologia e Inovação em 1985. Em setembro de 2000, Steve Wozniak foi incluído na National Inventors Hall of Fame.

Após deixar a Apple Inc., Woz forneceu todo o dinheiro, além de uma boa parte de suporte técnico, para a escola do distrito de Los Gatos. Em 2001, Woz fundou a empresa Wheels Of Zeus, uma companhia que produz soluções sem fio.

Como um tributo para Steve Jobs após sua morte (falecido dia 5 de outubro de 2011), Woz acampou durante 20 horas em frente a uma loja da Apple Inc. na Califórnia, de forma a ser o primeiro cliente do estabelecimento a comprar o iPhone 4S.

Atualizações Microsoft Windows – Abril 2018

por | Artigos | Sem comentários

A versão de segurança de abril consiste em atualizações de segurança para os seguintes softwares:

Internet Explorer
Microsoft Edge
Microsoft Windows
Microsoft Office e Microsoft Office Services e Web Apps
ChakraCore
Adobe Flash Player
Mecanismo de proteção contra malware da Microsoft
Microsoft Visual Studio
SDK do Microsoft Azure IoT

As atualizações são para correções de erros e vulnerabilidades dos sistemas operacionais Windows 7, 8, 8.1 e 10 e também microsoft office 2010 / 2013 / 2016.

Para mais informações consultar resumo de atualizações da Microsoft nesse link.

Loja é condenada a pagar 10 vezes o valor de cada software pirata que usava

por | Uncategorized | Sem comentários

Uma loja de móveis de Bento Gonçalves (RS) foi condenada a pagar 10 vezes o valor de mercado por cada software usado sem licença na empresa.

A ação de indenização foi proposta pela MicrosoftAudodesk e Adobe Systems após identificarem o uso de softwares pirata pela loja. Ao todo, foram identificados 31 programas sem registro.

Em primeira instância o pedido foi negado, por falta de provas de irregularidades. Porém, em segunda instância a sentença foi reformada. De acordo com a 5ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, não cabe às empresas criadores dos softwares comprovar a irregularidade. Esse incumbência, segundo a decisão, é da loja que deveria comprovar a compra das licenças, o que não ocorreu.

A vistoria feita nos computadores da moveleira apontou o uso de 31 cópias de 10 diferentes softwares, todos de autoria das empresas de tecnologia. “Uma vez comprovado o uso dos programas em questão cumpria à ré [loja de móveis] demonstrar a regularidade (total ou parcial), a teor do disposto no artigo 373, II, do CPC combinado com artigo 9º da Lei 9.609/98, do qual não se desincumbiu, sequer minimamente”, explicou a relatora, desembargadora Isabel Dias Almeida.

Ao definir o valor da indenização, a relatora afirmou que o montante deve servir para coibir a repetição da prática ilícita, por isso o prejuízo a ser reparado não se limita ao preço dos softwares.

Com esse entendimento e com base em precedentes do Superior Tribunal de Justiça e do próprio TJ-RS, a relatora fixou a quantia equivalente a 10 vezes o valor de cada software utilizado sem a devida licença. O voto foi acompanhado pela desembargadora Lusmary Fátima Turelly da Silva e pelo desembargador Jorge André Pereira Gailhard.

fonte: http://www.cbsi.net.br/2018/01/loja-e-condenada-pagar-10-vezes-o-valor.html