Artigos de

helpdesk

Envie arquivos grandes por e-mail com o Smash

por | Uncategorized | Sem comentários

01hwhu32_400x400Enviar arquivos anexos por e-mail é muito prático, porém o que você faz quando o arquivo que você precisa enviar é maior que o limite de 25MB da maioria dos provedores de e-mail? Nesses casos você pode usar o Smash, um aplicativo online gratuito que lhe permite compartilhar arquivos de qualquer tamanho por e-mail.

Enviar arquivos grandes por e-mail utilizando Smash é muito prático. Ele funciona de forma semelhante a outros aplicativos online, como por exemplo, o WeTransfer , MailBigFile, FileMail e o WeSendIt.

Tudo o que você precisa fazer é acessar o site do Smash, e, em seguida “arrastar e soltar” os arquivos que deseja enviar ou então, clicar na letra “S” para adicionar os arquivos em seu computador que deseja enviar.

Uma vez feito isso, ele irá abrir um formulário onde você precisa informar o e-mail das pessoas para quem você deseja enviar o arquivo, o seu endereço de e-mail e opcionalmente adicionar um assunto e descrição.

Depois de preencher todas as informações, clique no botão “Enviar” para iniciar o upload do arquivo para o servidor do Smash. Mantenha a página do Smash aberta até ele exibir a mensagem de “Concluído” na tela.

fromsmash

O destinatário receberá um e-mail com o link para download do arquivo, que fica disponível por sete dias e você também irá receber confirmação quando o e-mail for enviado e quando o destinatário baixar o arquivo.

Em resumo, Smash é uma boa opção para enviar arquivos grandes por e-mail. A maior vantagem dele em relação a outros serviços do gênero é que pelo menos até agora não existe limite no tamanho dos arquivos.

Erros que podem prejudicar a bateria do seu Smartphone

por | Artigos | Sem comentários

20140506165301_660_420Um smartphone Android possui limite em sua bateria, por isto caso o usuário não respeite o seu dispositivo é possível que sua vida útil seja menor. Desta forma, para entender como funcionam as baterias de lítio, veja seis ações que podem causar problema e danificar o seu dispositivo. Carregar o dispositivo no computador Ao carregar o seu telefone pelo computador é possível danificar a bateria, pois a corrente na entrada USB pode oscilar e como consequência garantir mais aquecimento do que quando o carregamento é feito na tomada. Através deste aquecimento é possível diminuir a vida útil da sua bateria, pois os materiais empregados como os eletrodos e eletrólitos são estáveis com baixa temperatura, por isto é normal superaquecer.

Carregar o aparelho durante toda a noite

Normalmente as pessoas possuem o costume de deixar o aparelho carregando até o dia seguinte, porém, não é indicado, pois o ideal é não ultrapassar o limite das 8-10 horas.  Desta forma, recomenda-se carregar o seu dispositivo quando a bateria estiver entre 20% e 80%, pois as baterias de lítio não tem problema de memória, por isto não é preciso carregar ao máximo ou esperar que acabe a carga.

bater_a_android_2

Utilizar dispositivo enquanto carrega

Como as pessoas, o celular também precisa de repouso, por isto, se possível durante a recarga, deixe o seu aparelho de lado, pois utilizar o smartphone enviando mensagem ou vendo vídeos pode aumentar a temperatura do dispositivo e o calor é um grande problema para baterias de lítio.

Os aparelhos atuais não sofrem com o problema da memória por isto elas não ficam viciadas, mas é preciso evitar que o seu aparelho seja todo descarregado, até porque geralmente os telefones possuem sistema de segurança que desliga o telefone se a bateria chega a 5%.

Esperar chegar a níveis baixos pode ser perigoso, por isto, procure carregar o seu dispositivo quando a bateria estiver entre 20 ou 15%.

Evite deixar o aparelho no sol

Procure nunca deixar o seu aparelho no sol, pois o telefone irá esquentar, além disso, o calor pode danificar a bateria, lembrando que esta dica também é válida para outras ações que possam sobrecarregar o seu aparelho e ocasionar um superaquecimento.

Utilizar carregador errado

caso o carregador do seu aparelho tenha estragado, normalmente o usuário compra outro mais barato, porém, isto pode trazer problemas em longo prazo. É preciso saber que os carregadores são fabricados com especificações técnicas próprias, por isto o ideal é comprar por modelos de qualidade e ficar longe dos produtos piratas. Além disso, está dica também é válida para as baterias, por isto utilize sempre modelos originais para não estragar o seu smartphone Android.

Avaliando a vida útil da bateria 

O aplicativo Battery Compare disponível para Android possui  uma interface bem simples, mas que oferece as informações necessárias. Para obter os dados basta clicar no botão “Start”, para a análise começar.

O tempo pode demorar um pouco, mas para obter informações mais precisas vale a pena a espera. Os resultados dizem respeito ao estado de funcionamento, se descarrega facilmente ou se o componente não suporta a carga por muito tempo. Além disso, há possibilidade de comparar o desempenho de um dispositivo em relação ao outro , com a realização de alguns testes no aparelho.

 

 

Anúncios no Spotify infectam computadores com malware

por | Uncategorized | Sem comentários

spotify-bad-01De acordo com relatos de diversos usuários, anúncios no Spotify infectaram PCs com malwares. As infecções ocorreram em sistemas com Windows, Mac e Linux.

O problema no popular serviço de streaming de músicas foi descoberto pelo usuário ‘tonymoly’, que relatou o ocorrido no próprio fórum do Spotify.

De acordo com o post, se o usuário estiver executando a versão gratuita do cliente para desktop do serviço, os anúncios exibidos farão com que ele abra o navegador padrão com links para malwares.

Em seu relato, ‘tonymoly’ disse que notou o problema em três computadores com a versão gratuita do cliente para desktop do Spotify.

Múltiplos relatos no Twitter também confirmam a infecção de sistemas com Windows, Mac e Linux.

O problema está sendo investigado pelos responsáveis pelo serviço, mas até o momento nenhum comunicado oficial foi divulgado.

A recomendação é que os usuários removam a versão gratuita do cliente para evitar as infecções.

Vale destacar que esta não foi a primeira vez que o serviço causou problemas para seus usuários. Cinco anos atrás, um anúncio exibido por ele instalou um software antivírus falso nos computadores.

HP se desculpa pelo bloqueio de cartuchos não originais

por | Artigos | Sem comentários

hp-ink-cartridges-01A HP pediu desculpas para seus clientes com impressoras que tiveram cartuchos de tinta rejeitados a partir de 13 de setembro por não serem originais da HP.

HP se desculpa pelo bloqueio de cartuchos de tinta não originais

Na semana do dia 13 de setembro, diversas impressoras da HP começaram a rejeitar cartuchos não originais. A investigação de um revendedor online de cartuchos revelou que os firmwares das impressoras da HP foram pré-programados com datas para falhas de cartuchos não originais.

Na época, milhares de usuários postaram reclamações no fórum de suporte da HP. O revendedor online de cartuchos 123inkt.nl também recebeu um grande número de reclamações e decidiu investigar o problema.

Depois da investigação de diversos modelos de impressoras, o revendedor constatou que o problema era causado pelo firmware e entrou em contato com a HP para obter mais informações.

Os usuários constataram também que o problema só ocorria em impressoras com cartuchos não originais. Isto fez com que a HP admitisse que o problema era mesmo causado por uma versão atualizada do firmware das impressoras.

Em um comunicado publicado pouco tempo depois da divulgação dos resultados da investigação, a HP confirmou que a rejeição dos cartuchos não originais era algo intencional que visava “proteger as impressoras e a comunicação entre os cartuchos e as impressoras”.

Neste comunicado ela também informou que impressoras afetadas continuariam funcionando com cartuchos recarregados desde que eles contenham o chip de segurança da HP. Cartuchos sem este chip seriam rejeitados.

Com a grande quantidade de reclamações e a atenção dada ao caso pela imprensa, a empresa mudou de ideia e confirmou em um novo comunicado que está trabalhando em uma atualização de firmware para que suas impressoras permitam novamente o uso de cartuchos de tinta não originais. A HP também se desculpou pelo ocorrido.

A empresa não informou quando exatamente a atualização de firmware será disponibilizada.

Criminosos e o novo golpe de ‘Conta de Celular atrasada’

por | Artigos | Sem comentários

 

cyber-crimes-6

   Agora é a sua conta de telefone celular que pode esta em perigo.

Antes tínhamos o golpe dos boletos, que por meio de um malware instalado no computador do usuário, durante o processo de geração do boleto, alterava alguns parâmetros fazendo com que o valor do pagamento na verdade fosse depositado em contas de criminosos.

Pois bem, agora o que temos observado no mercado é que os criminosos estão migrando de boletos para contas de telefone celular atrasadas, e o golpe tem conseguido muito sucesso, pois a grande maioria dos usuários continua a ter pouco, ou quase nenhuma atenção, com seus pagamentos.

O objetivo neste caso é tentar roubar informações sigilosas das pessoas que abrem um email de uma operadora de telefonia móvel, informando que a pessoa possui contas em atraso, e por meio de um link pode baixar um boleto com um valor atrativo de quitação de seu débito.

Na verdade o boleto é um PDF contaminado que tem como finalidade a instalação de um malware no computador do usuário, e depois deste malware estar instalado, as informações são facilmente roubadas dos usuários.

Mas uma vez não custa lembrar que o bom senso é fundamental nesta hora, lembramos que nenhuma operadora envia um boleto sem antes ter falado com o cliente e ter acertado valores e negociações, por isso recomendamos toda a atenção do usuário.

Além das recomendações de atenção, claro não podemos deixar de deixar aqui nossas orientações para manter sistema operacional e sistemas de antivírus atualizados.

Dicas para você zerar a sua caixa de entrada e encontrar paz novamente

por | Uncategorized | Sem comentários

8_dicas

A comunicação possibilitada pela troca de emails facilita muitas conversas, envios de comunicados e atualizações – pessoais e profissionais – entre as pessoas. Mandar uma carta é raridade hoje em dia, pois a maior parte desse tipo de correio se tornou eletrônico há alguns anos. Até mesmo as faturas e contas estão deixando de ser entregues no modo físico para serem recebidas na caixa de entrada dos clientes de email.

Porém, toda essa facilidade também gera um excesso informacional que às vezes sai totalmente do controle e se torna um problema na vida de muitas pessoas. É preciso tomar algumas precauções para evitar que a situação chegue a esse ponto.

Caso você já esteja atolado de mensagens, é preciso tomar as rédeas e assumir o controle novamente. Quando a situação chega a esse ponto, então você pode experimentar algumas técnicas úteis para resolver esse caos sem perder muito tempo. Conheça algumas dessas maneiras neste artigo.

Ativar o agrupador de conversas que reúne emails com o mesmo título em um só, livrando espaço na caixa de entrada. É comum que as pessoas respondem mensagens para todos os destinatários que estão cadastrados naquela conversa, fazendo com que você recebe várias vezes o mesmo texto, mas com uma atualização diferente.

Alguns clientes de email, como o Gmail e o Outlook, permitem que você contorne esse problema com uma ferramenta que vai juntando todos os emails do mesmo assunto em uma só mensagem. No serviço da Microsoft, é preciso ativar essa funcionalidade, sendo que, no da Google, essa característica é nativa, funciona sem que você precise configurar alguma função.

Viagem: sinônimo de caixa de entrada lotada

Quando você sai de férias ou viaja por um período longo, é normal que a quantidade de mensagens não lidas na caixa de entrada aumente consideravelmente. Esse caso parecer ser um pouco sem solução, já que não é possível bloquear o recebimento desses emails, pois são grandes as chances de você perder algum comunicado importante.

Nesses casos, um conselho interessante é a criação de respostas automáticas avisando sobre a sua indisponibilidade. Essa mensagem pode ser configurada para ser enviada como resposta para todos os emails que chegarem à sua caixa de entrada, deixando todas essas pessoas conscientes de que o seu contato vai demorar para aparecer.

Para que essa técnica funcione com eficiência, é extremamente importante que você não a utilize sempre, apenas nos casos realmente em que realmente for necessário. Se essa resposta automática for configurada para ser enviada sempre, os remetentes passam a ignorá-la e a sua caixa de entrada fica cheia de qualquer forma. Portanto, é preciso ter moderação no uso dessa ferramenta.

Dedique uma atenção especial ao seu email

Outra ação que realmente ajuda na organização da caixa de entrada é reservar um tempo exclusivo para a visualização das mensagens que faltaram, fazendo uma limpa no restante dos emails. Assim como você se dedica por inteiro a outros compromissos, como saídas com os amigos e reuniões, também é possível guardar algumas horas na agenda para dar conta da caixa de entrada.

Mesmo utilizando várias técnicas para evitar que haja um acúmulo de mensagens no seu servidor de email, algumas sempre acabam passando e vão enchendo a caixa de entrada sem você perceber. Esses itens geralmente são aqueles textos que não são tão importantes, mas que mesmo assim são conversas que precisam ser respondidas.

Para não ficar preso na armadilha do “amanhã eu vejo” ou “amanhã eu respondo”, é essencial que você dedique essas horas especialmente para isso, procurando se focar nos emails e evitando distrações. Facebook, Twitter, MSN e demais redes sociais e comunicadores podem fazer com que a ideia falhe. Portanto, procure ficar offline por um tempo, pensando no bem da sua caixa de entrada.

Página falsa da Receita Federal no Facebook esconde vírus

por | Uncategorized | Sem comentários

receita-federal

Um grupo de criminosos está usando uma página do Facebook para enganar pessoas e instalar um malware que deixa seus computadores vulneráveis. Batizada de Restituição IRPF, a página se passa por um canal oficial da Receita Federal que promete facilitar problemas relacionados à declaração de imposta de renda.

O problema é que o link divulgado, oferecido para que as pessoas verifiquem sua situação frente ao fisco, redireciona o usuário para um site bem diferente do proposto e que abre as portas de seu PC para conteúdo malicioso. O endereço em questão é muito bem disfarçado e promete levar o usuário para a página da Receita, mas o endereço real é de um site chamado Quarto do Pânico, cujo único conteúdo é um download automático de um malware que atinge sistemas Windows, fazendo com que o computador fique completamente vulnerável.

E, a partir disso, os hackers podem ter acesso a dados pessoais e outras informações sigilosas que podem ser usadas para ações criminosas. O que realmente chama a atenção por aqui é que, à primeira vista, a página Restituição IRPF realmente engana, sobretudo por conta da miniatura do link mostrar o endereço da Receita Federal.

Porém, não demora mais do que um minuto para você estranhar a existência de uma única postagem, a falta de dados e o fato de que todos os comentários sobre o tema terem sido apagados — o que mostra que os criminosos estão acompanhando as interações, evitando que outras pessoas os desmascarem na rede social.

O problema é que ainda há muita gente acreditando que aquilo tudo é real. Tanto que, até o fechamento desta matéria, a publicação criminosa possuía 245 compartilhamentos e a grande maioria não fazia menção ao fato de que aquilo era um vírus. Como a pessoa envia aquilo aos seus amigos sem comprovar sua veracidade, ela acaba divulgando o malware e ajudando os criminosos.

Outro ponto que enganou muita gente é que os hackers se utilizaram de uma ferramenta do próprio Facebook para alcançar o maior número de possíveis vítimas. A partir da ferramenta de promoção de conteúdo, eles conseguiram dar mais visibilidade ao link falso e fizeram com que mais de mil pessoas curtissem a página.

Por isso, antes de clicar em qualquer coisa que seja aparentemente oficial ou prometa alguma facilidade relacionada a dinheiro, duvide. Observe bem o site e procure por indícios de que aquilo é verdadeiro. Páginas falsas, como esta, quase nunca trazem outro conteúdo além daquele que vai instalar um vírus ou causar outra dor de cabeça, então comece a duvidar logo de cara quando ver algo assim. No caso da Restituição do IRPF, fica fácil ver que ela foi criada nesta semana (ou já existe há mais tempo e foi apagada e retomada), tanto que o número de curtidas é bem reduzido para algo desse porte. Apenas para comparação, a fanpage verdadeira da Receita Federal é seguida por 79 mil pessoas e traz vários dados sobre o órgão, assim como conteúdo atualizado.

Supostos hackers são presos cobrando R$ 5 milhões para alterar resultado da urna eletrônica.

por | Artigos | Sem comentários

urna-eletronica-mao

A partir da denúncia de um prefeito no Rio Grande do Sul, a Polícia Federal prendeu na terça-feira, 13/9, duas pessoas acusadas de estelionato por aplicarem um golpe em que prometiam alterar o resultado da urna eletrônica nas eleições municipais de 2 de outubro próximo.

Segundo a PF, “os criminosos diziam ter contato com uma empresa que atualiza o software das urnas eletrônicas e cobrariam R$ 5 milhões para, supostamente, fraudar a eleição para prefeito e R$ 600 mil para, supostamente, fraudar a eleição para vereador”.

Após o cumprimento dos mandados, realizado hoje, constatou-se tratar de estelionato, pois não há indícios de que os criminosos realmente poderiam obter êxito em fraudar as urnas eletrônicas e nem mesmo teriam contato com a empresa de atualização de software”, conclui a Polícia Federal.

O TSE também reforça tratar-se de uma tentativa de golpe, e não o abuso de alguma fragilidade da urna eletrônica. “A operação deflagrada hoje, além de deixar claro que a segurança da urna não foi violada, foi realizada exatamente no dia em as urnas começam a ser carregadas com o sistema de votação e a partir de agora não podem mais ser modificadas”, diz nota do presidente do TSE, Gilmar Mendes.

A Justiça Eleitoral recebeu a notícia da operação com muito pesar e alerta para que candidatos e cidadãos não caiam em golpes como esse. A urna é um equipamento que tem se mostrado inviolável e todo o processo de votação é extremamente seguro. Em vinte anos de história da urna, não houve uma fraude sequer no processo eleitoral brasileiro”, diz o ministro.

Além de duas prisões, uma em Brasília, outra em Xangri-lá, no litoral gaúcho, a PF informou que uma terceira pessoa com mandado de prisão expedido está foragida. Segundo o chefe da Delegacia de Defesa Institucional da PF, Fernando Casarin – ex funcionário do TRE-RS – que comandou a operação, os acusados diziam ser de uma empresa da capital capaz de modificar os votos.

As negociações do prefeito com os suspeitos, monitoradas pela PF, se estenderam por um mês. “Eles diziam que poderiam inserir um algoritmo ou alterar um código binário da programação da urna eletrônica, através de um contato com a empresa que fornece o software à Justiça Eleitoral. Para isso, pediam um pagamento de acordo com a arrecadação do município. Os valores variavam de local para local”, explicou Casarin, durante coletiva nesta terça.

Segundo a Justiça Eleitoral, a urna eletrônica possui mecanismos de segurança que garantem que somente os programas gerados na cerimônia de lacração, única oportunidade em que a chave de assinatura oficial dos sistemas é utilizada, possam ser executados com status de aplicação oficial. Nessa oportunidade, os programas são inspecionados, fazendo com que não haja como alguém gerar um programa malicioso para fraudar a eleição. Trata-se do processo de ‘carregamento’ das urnas mencionado pelo presidente do TSE.

Google Chrome vai marcar conexões HTTP como “inseguras”

por | Artigos | Sem comentários

maxresdefault

A Iniciativa da gigante para impulsionar uso de criptografia na web entra em vigor em janeiro de 2017 e será liberada em diferentes estágios.

Para fazer com que mais sites implementem criptografia e protejam melhor os seus usuários, o Google vai começar a marcar conexões HTTP padrão como inseguras em seu navegador Chrome.

A iniciativa entrará em ação em janeiro de 2017 com o lançamento do Chrome 56 e será liberada em estágios. O Chrome 56 vai exibir um indicador “não seguro” antes das URLs HTTP na barra de endereços, mas apenas para páginas web que contém campos de senha ou cartão de crédito.

Transmitir informações sensíveis como essas via HTTP é perigoso porque os dados podem ser interceptados por ataques “man-in-the-middle” em redes wireless públicas ou por meio de roteadores comprometidos, por exemplo.

Nas versões futuras do Chrome (após a 56), os avisos sobre HTTP serão ampliados. Primeiro, as páginas serão destacadas como “não seguras” quando acessadas pelo modo de privacidade Incógnito. Eventualmente, o Chrome mostrá o aviso para todas as páginas HTTP e trocará o indicador de segurança pelo triângulo vermelho usado atualmente para conexões HTTPS “quebradas”.

“Os estudos mostram que os usuários não percebem a ausência de um ícone ‘seguro’ como um aviso, mas que eles também tornam-se cegos para avisos que acontecem com muita frequência”, explica Emily Schechter, da equipe de segurança do Chrome.

De acordo com o Google, metade das páginas carregadas pelo Chrome agora são criptografadas usando HTTPS, e a adoção desse importante protocolo de segurança está crescendo entre os sites.

Outros esforços do Google para impulsionar a criptografia na web incluem usar o HTTPS como um sinal rankeador de páginas na sua ferramenta de buscas.

Grandes nomes da tecnologia estão se unindo para regulamentar Inteligência Artificial.

por | Artigos | Sem comentários

115349.193457-Inteligencia-artificial

As cinco principais empresas de tecnologia estão se reunindo para discutir os avanços de pesquisas com inteligência artificial e regulamentar o sistema.

Pesquisadores do Facebook, Alfabeto, Amazon, Microsoft e IBM estão olhando para as consequências práticas do AI, como qual será o impacto no transporte, emprego e bem-estar. O grupo, que não tem um nome ou um credo oficial, quer garantir que as pesquisas em AI se concentrem em beneficiar as pessoas, não as prejudicar.

Esta não é a primeira vez que o setor se mobiliza para tentar regular a tecnologia. Em 2015, Elon Musk, Stephen Hawking, os fundadores do Google DeepMind e dezenas de outros pesquisadores assinaram uma carta aberta pedindo investigações sólidas sobre o impacto da inteligência artificial e as formas de garantir que ela continue a ser uma ferramenta benigna à disposição da humanidade.

O pesquisador da Microsoft, Eric Horvitz, financiou um estudo emitido pela Universidade de Stanford, que discute as realidades da AI e a importância de investigar o seu impacto. Também apela para uma maior educação da inteligência artificial em todos os níveis de governo e descreve como publicar um relatório sobre o estado da indústria a cada cinco anos para os próximos 100 anos.